Indústria pornô faz pausa após dois casos de HIV

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

Pegação

A indústria pornô é uma das maiores indústrias do mundo, se não for a maior. Ela contém diversos atores e diversas pessoas trabalhando nela, mas recentemente vem passando por dificuldades.

Em 22 de Agosto de 2013 a Free Speech Coalition, uma associação comercial para a indústria de entretenimento adulto, anunciou uma moratória, uma espécie de pedido normalmente feito para adiar dívidas, e que nesse caso representa um adiamento de novas produções pornográficas. O pedido foi feito após o teste que deu positivo para HIV da atriz pornô Cameron Bay. A moratória foi rapidamente derrubada após o conselho médico da indústria ter examinado todos os atores que trabalharam com ela.

Porém seis dias após a moratória ter acabado, Rod Daily, outro ator pornô que era namorado de Bay, anunciou no seu Twitter que seu teste também deu positivo para HIV. Num primeiro momento a FSC não confirmou o diagnóstico, mas fez novamente outro pedido de moratória. A FSC não confirmou porque fez o novo pedido na sexta (06/09), e não ficou claro se foi por causa de Rod Daily ou de outro ator.

“Por causa dessas medidas de precaução, o ator que agora foi diagnosticado como soropositivo, não atuou desde ANTES da primeira moratória e foi impedido de atuar devido ao reteste necessário,” disse Dr. Sean Darcy na declaração do FSC. “Portanto, nenhum ator foi exposto a um novo risco de transmissão no set como resultado do último caso, ou da infecção do Sr. Bay.”

Os pedidos de moratória tentam fazer com que os atores voltem a fazer novos exames de doenças sexualmente transmissíveis antes de começar a realizar novas filmagens. Rod Daily contou que desde 2010 vem trabalhando apenas no pornô gay, que determina o uso de preservativos em todas as produções. Isso pode corroborar com a ideia de que supostamente Daily pegou o vírus de Bay, e que Bay tenha pegado durante alguma filmagem, mesmo a associação não tendo provas de que a transmissão do HIV tenha acontecido assim, mas preferindo tomar esta medida de precaução para evitar novos contágios.

Atriz Alexis Texas

O acontecimento trás a tona uma discussão que já perdura anos sobre a utilização de preservativos em todas as produções da indústria pornográfica. Em novembro do ano passado, por exemplo, o condado de Los Angeles aprovou a Medida B, que obriga o uso de preservativos nas produções pornô e obriga as empresas a solicitar autorização de saúde pública antes de filmar. Entretanto, a AIDS Healthcare Foundation, que apoiou a medida, recentemente criticou o Departamento de Saúde Pública do Condado de Los Angeles por não cumprir a lei.

Apesar dos benefícios, a tal da Medida B vem sofrendo problemas. Algumas pessoas contrárias afirmam que ela é inconstitucional, pois fere a Primeira Emenda à Constituição dos Estados Unidos, que assegura, entre outras coisas, a liberdade de expressão. Alguns afirmam também que como as filmagens acontecem em qualquer lugar, a Medida B parece autorizar um agente de saúde a entrar e procurar qualquer parte de uma casa privada no meio da noite, porque ele suspeita que violações estejam ocorrendo.

E agora todo o estado da Califórnia, o estado de referência desta indústria nos Estados Unidos, está debatendo a possibilidade de obrigar o uso do preservativo para evitar problemas de saúde como os que foram citados aqui.

Fonte: G1 Pop & Arte, The Huffington Post

1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.