Heróis da segurança atômica

Tempo de leitura: 2 minutos

Usina de Fukushima

Nas últimas semanas, o Japão vem atravessando um período de muito sofrimento. Primeiro um terremoto que atingiu 8,9 graus na escala Richter, depois um tsunami com ondas de até 15 metros de altura e velocidade de até 800 km/h. Esses dois acontecimentos danificaram a usina de Fukushima.

Fukushima Daini (nome oficial da usina) possui um total de 750 funcionários. Atualmente ela conta com apenas 50 (há rumores que seja 100, mas isso não foi confirmado). A usina possui seis reatores, destes, quatro foram danificados e outros dois apresentaram uma alta temperatura. Fato que pôs em risco a segurança de todos japoneses e, principalmente, a dos trabalhadores da usina.

Os níveis de radiação dentro da usina aumentaram muito nos últimos dias. De acordo com a Tokyo Electric Power Co (Tepco), operadora da usina de Fukushima, os níveis de radiação podem ser suportados pelos humanos, desde que estejam com proteção. Porém o nível de radiação é muito instável. Na quarta-feira (16) os 50 trabalhadores tiveram que sair da usina por uma hora por causa do alto nível de radiação.

Quando o corpo humano é exposto à radiação pode ser afetado de tal forma que haja até mesmo alterações no DNA das células. Os efeitos da radiação podem ser classificados como agudos ou crônicos. Os crônicos se manifestam ao longo de anos após uma exposição não direta, mas significativa de radiação. Já os agudos são imediatos. Ocorrem naqueles indivíduos que tiveram contato com material radioativo ou que se expuseram a grande quantidade de radioatividade.

Os trabalhadores da usina estão sendo considerados heróis. Eles estão arriscando as suas vidas para que outros possam viver. Se algo der errado na usina de Fukushima esses trabalhadores serão os mais afetados. Esses sim são heróis. Estão arriscando o seu próprio bem estar. Decidiram fazer o que é certo ainda que isso custe suas vidas. São estes os heróis que devemos exaltar. Heróis… Qualquer semelhança com o Big Brother Brasil é uma infeliz coincidência.

Com informações: Revista Escola, Último Segundo, GGN, Geografia e Educação Ambiental

2 Comentários


  1. Estes trabalhadores são herois de verdade, temos reverencia-los, como você disse no texto os herois são eles, não o pessoal do BBB.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.