Ela gostava de mim, agora me odeia

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

Garota que me odeia

Esse post foi gravado em áudio. Se você preferir pode ouvir o áudio ao invés de ler o texto.

Nunca entendi o que aconteceu nesse meio tempo em que a gente viveu. Um dia você gostava de mim e ficava-me olhando com aqueles seus olhos azuis. No outro você me odiava, falava que eu era um idiota e tudo mais. Talvez esses dias tenham sido alguns anos, mas quem se importa.

Nós nunca fomos apresentados um ao outro formalmente. Nossos únicos contatos são minhas declarações que te enviei pelo falecido nem tanto Orkut, e os sorrisos bobos que você me dava quando me via. Só que nada disso justifica o ódio que você sente por mim.

Talvez até justifique. Talvez ter deixado você dois anos esperando que eu fizesse algo tenha causado isso. Talvez as declarações que te enviei não tenham sido suficientes quando eu não ia falar com você. Talvez isso tudo faça parte de uma história estranha que deva ser contada a todos.

Não sei se faz diferença, mas depois de um tempo eu realmente gostei de você. Era que antes eu acreditava que a gente tinha uma alma gêmea, e para mim você não era ela. Mas depois percebi como esse lance de alma gêmea é bobagem, e que a gente deve aproveitar a vida ao máximo que puder.

Sei que você deve estar aproveitando sua vida em toda a sua totalidade. Desculpe, é que vi suas fotos no Facebook antes de escrever essa carta, queria ter certeza que a garota para quem estava escrevendo isso era você, e tenho certeza que lá no fundo aquela garotinha fofa ainda existe.

Também sei que você nunca me esqueceu, seja por um bom ou um mal motivo, ou você acha que não percebi que você olhou automaticamente para mim quando eu sai do cinema e você estava lá. Ou na vez que te vi em frente aquela farmácia, ou na pizzaria, ou em outro lugar qualquer ao qual tenhamos-nos encontrado.

Eu só queria que lá no fundo você pudesse-me perdoar. Não, não estou pedindo uma segunda chance, mas é claro que se ocorresse eu a agarraria com toda a minha força, a chance e você. Mas só quero que me perdoe, e que eu não sinta mais certo medo toda vez que passo perto de você.

Você pode-me perdoar?

*Esse texto pertence ao Cartas Para Elas, um apêndice do romance Desilusões Apaixonadamente Amorosas, e fala sobre a personagem Nicole.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *