5 alimentos que aumentam o odor do corpo

Tempo de leitura: 4 minutos

Hambúrguer com fritas

A genética é responsável por determinar tudo na sua vida, desde a cor do seu cabelo até o tamanho do dedo do seu pé. E uma outra coisa que ela pode determinar é o odor natural do seu corpo.

A transpiração realizada por bactérias naturais presentes na pele produz o odor característico de cada um, que nós chamamos de odor corporal, diz a Dr. Debra Jaliman, dermatologista, porta-voz da Academia Americana de Dermatologia e autora de Skin Rules: Trade Secrets From a Top Dermatologist (Regras da Pele: Segredos de comércio de uma dermatologista top.

Cada pessoa possui uma combinação diferente de bactérias – cerca de 1.000 tipos vivem em glândulas sudoríparas humanas – e, portanto, o nosso próprio cheiro único.

A idade é um dos fatores que pode alterar nosso odor. Os pesquisadores ainda não encontraram o porquê, mas uma teoria é que quando ficamos mais velhos, a atividade das nossas bactérias muda, afetando nosso odor natural.

Mas além do DNA e da idade há outros fatores que podem alterar o odor que produzimos. Enquanto a maioria de nós sabe que o consumo de alho ou cebola muda o hálito, podemos não notar que alimentos como o brócolis e a carne vermelha aumentam significativamente o volume no odor do corpo.

Listamos cinco alimentos conhecidos por causar essa alteração no seu aroma natural.

Brócolis, repolho e couve-flor – O problema desses alimentos é que eles possuem enxofre, que o corpo divide em componentes que são similares aos responsáveis pelo cheiro da manteiga rançosa ou clarificada. “Esses compostos são absorvidos pelo corpo e expelidos pelo suor,” explica E. Adam Kallel, um químico medicinal consultor na Victrix Computational and Medicinal Chemistry Consultancy em Carlsbad (EUA). E apesar do risco, Jaliman diz, “Vegetais são muito saudáveis e você não deve fugir deles por causa de um pequeno odor corporal”. Para diminuir os riscos escalde esses vegetais em água temperada com uma pitada de sal.

Carne vermelha – Os aminoácidos presentes na carne vermelha deixam um resíduo no seu intestino durante a digestão. As enzimas intestinais quebram esse resíduo, que é misturado com as bactérias na sua pele durante a transpiração e intensifica o odor. As carnes são mais difíceis de digerir do que qualquer outro alimento, e por isso seu corpo tem que trabalhar muito mais para processar tudo. Somente o tempo é capaz de passar o efeito do odor da carne, em alguns demora cerca de duas horas, em outros pode demorar mais, ou menos.

Peixe – O peixe tem inúmeros benefícios, anos de pesquisa mostraram que os ácidos graxos ômega 3, comumente encontrados no óleo do peixe, são essenciais para o funcionamento do cérebro e uma maneira de reduzir os riscos de doenças do coração. Mas o colina, um nutriente essencial que faz parte do complexo B de vitaminas, que é encontrado amplamente em peixes como o atum e o salmão, oferece um cheiro natural de peixe. Algumas pessoas expelem a colina no seu suor por até um dia após comer uma porção de peixe, potencializando um forte odor corporal. Em algumas pessoas o consumo de colina e carnitina, presente em peixes, carnes e ovos, podem contribuir para a trimetilaminúria, ou “síndrome do odor de peixe”, que pode ser tratada por mudança alimentar e antibióticos.

Alimentos (porcarias) processados – O mecanismo para a conexão deste odor-comida ainda não foi descoberto pelos cientistas, mas o teor de açúcar refinado nessas comidas, assim como seu alto teor glicêmico, podem ser os culpados. Acredita-se que o açúcar presente no sangue após o consumo de comidas processadas altera a composição do suor em algumas pessoas quando combinadas com as bactérias da pele, levando a mudança no odor. “Após uma semana se abstendo desse tipo de comida, o odor vai embora,” afirma Jaliman – um problema se você é um consumidor diário de lanches processados (o que, é claro, você não deveria ser).

Dietas de baixo carboidrato – Alimentos processados ricos em carboidratos podem transformar seu odor, mas dietas baixas em carboidratos também são um problema para alguns. Quando você corta os carboidratos, seu corpo tem menos carboidratos, obviamente, para queimar energia, então ele começar a queimar gordura no lugar. É assim que essas dietas podem ajudar na perda de peso – e aumento do odor corporal. “Quando você queima gordura, seu corpo produz um químico que pode fazer a transpiração cheirar como um removedor para unhas”, diz Jaliman. Mas não é uma regra geral, e pode afetar cada pessoa de forma diferente. São necessários muitos dias depois de começado a dieta para notar o odor, mas uma hora irá aparecer. E se o efeito for muito nítido Jaliman aconselha a falar com um nutricionista para ajustar a dieta.

Deu para perceber que somos aquilo que comemos, e não é apenas por causa de um simples odor que você vai parar de comer tudo o que gosta. Na dúvida mantenha uma dieta balanceada comendo alimentos de diferentes tipos.

Fonte: The Huffington Post

2 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *