Salário digno a quem constrói futuros

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

Sem professor não há desenvolvimento, não há país.

Chico Anysio Professor

Nesta quarta (11), o governador de São Paulo, Geraldo Walkman Alckmin, anunciou que 374 mil professores e funcionários ligados ao quadro do magistério do Estado serão beneficiados com um aumento gradativo do salário-base em 42,2% ao fim de 4 anos. A partir do dia 1º de julho, um ajuste de 13,8% em 2011 já será aplicado. Há previsões de ajustes de 10, 6 e 7 porcento para 2012, 2013 e 2014, respectivamente.

Mas será o suficiente? Será que é só a satisfação de ensinar que querem ter os professores?

Ser professor é plano de apenas DOIS porcento do alunado brasileiro. Os outros 98% podem ter filhos e seus filhos, netos. Essas próximas gerações precisarão conviver com uma já observada escassez de professores!? Assim, vai chegar um tempo em que ser professor vai valer ouro e pode ser que a porcentagem de metas se inverta.

Profissão Professor

É fato que esse tempo não está muito longe, já que tem se tornado raro um jovem dizer que quer ter o ensino como emprego. Claro que a vocação para o trabalho e o prazer de imaginar-se ante uma turma, de costas para a lousa, também influenciam. Mas para todo esse empenho e vontade, há de haver incentivo plausível.

Vou até aproveitar o assunto e postar aqui um texto de uma poetisa portuguesa que tive o prazer de conhecer pessoalmente.

“Primeiro Deus, em segundo, o Doutor.
O Doutor e o Professor
Trabalham todo dia.
É tão difícil falar este verso…
O Professor, o Doutor,
O dom do Doutor
Que trabalha noite e dia.
O dom carrega na cabeça,
E a responsabilidade no coração.
É tão difícil compreender,
Mas todos nós sabemos,
O Doutor e a Enfermeira,
Uma responsabilidade tão verdadeira.
Conseguimos ver, viver e entender:
Sem Professor não há Doutor.
Sem Professor não há progresso.
Que o nosso mundo saiba compreender:
Todos os passos que dou
São letras que não escrevo.
As curvas são saudades,
E assim continuo caminhando e procurando
As letras que não aprendi.”

(NUNES REIS, Umbelina do N. Nós e o mundo. Portugal, 19??)

A senhora que escreveu esta poesia não sabe ler nem escrever, não teve um professor que lhe ensinasse fazê-lo, mas reconhece e sabe muito bem a importância dos mestres.

Todos pela educação? Isso começa por quem a constrói. Valor ao professor!

Texto por Rafael Fernandes.

6 Comentários


  1. Com um bom salário muito mais gente iria querer ser professor. Além do que iria valorizar a profissão.

    Responder

  2. Exatamente, Flavio. Foi o que eu disse… se houver justa valorização, a porcentagem de metas poderia até se inverter, isto é, 98% do alunado querendo seguir o magistério.

    Responder

  3. Só assim teremos melhores professores, pois eles trabalharão felizes e terão dinheiro para gastar em especializações.

    Responder

  4. Raul. Foi muito importante destacar a questão das especializações, porque às vezes o que falta a um graduado para fazer uma pós é justamente o dinheiro. Querem profissionais especializados, só não dão subsídios para que isso ocorra. Bem observado seu comentário. Obrigado! Só espero que autoridades no assunto leiam esse meu texto… rsrs.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três + um =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.