Por que stalkeamos o Facebook do companheiro?

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

Facebook iPhone

Hoje em dia é muito comum a prática do stalk, a vigilância exagerada que uma pessoa faz a outra, principalmente com alguém de que gostamos, como o nosso parceiro. Mas até onde essa vigilância é saudável, até onde isso pode nos revelar certo fracasso nesse relacionamento.

Para provar o que todos já sabiam de forma empírica, a pesquisadora doutora da área de comunicação da Universidade de Ohio (EUA), Jesse Fox, entrevistou 328 estudantes, com idades entre 18 e 48 anos, para saber se eles stalkeavam seus companheiro nas redes sociais, principalmente no Facebook. Seu objetivo era entender as razões desse comportamento ao cruzar esses dados com as características do indivíduo e do relacionamento.

Na rede social é possível saber todo o passado de uma pessoa, pelas fotos, eventos, e publicações que ficam lá para sempre, seus amigos e sua rotina. Segundo Fox, isso acontece, pois é fácil acessar tais dados, as informações se encontram em vários formatos, e continuam lá por muito tempo, pois não são deletas, além do anonimato do dono não saber que está sendo vigiado.

Juntamente com a doutora Kate Warber, da Universidade de Wittenberg (EUA), Fox cruzou os dados tidos como “nível de ligação”, como os modelos presente durante a infância e a incerteza quanto ao rumo em um relacionamento. Os estudantes foram submetidos a questões como “visito a página do meu (ex-) parceiro nas redes sociais com frequência”, “Para mim, é fácil ficar emocionalmente próximo de outras pessoas” ou “Quão certo está do status do atual relacionamento com seu parceiro?”.

A partir desses dados os entrevistados foram indicados em “seguros”, “preocupados”, “desligados” e “medrosos”. E outro indicador media o nível de ambiguidade do relacionamento para o sujeito. Sendo assim quanto maior a incerteza sobre o relacionamento, maior a chance da prática de stalkear.

O resultado foi o que todos já esperavam. Indivíduos preocupados e medrosos vigiam mais seus companheiros pela internet do que os mais seguros e desligados, o que pode ser explicado pelo grau de ansiedade de cada categoria. Além disso, o comportamento de stalkear juntamente com os níveis de ansiedade podem causar problemas em um relacionamento, um relacionamento que já começa errado pela falta total de confiança.

Isso também acontece entre ex-companheiros, principalmente quando uma das partes não queria o término. O que pode gerar com que essa parte continue com a confiança de que a outra pessoa ainda não a esqueceu, quando ela já está em outra. Por isso a melhor maneira é deletar o ex da sua lista de amigos, para assim superar o término.

Fonte: Revista Galileu

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.