Como se mudam-se os hábitos

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

Pastel e os hábitos

Existe uma pastelaria que fica aqui na minha cidade, e de uns tempos para cá venho percebendo uma coisa que está acontecendo lá, em que se é possível perceber a mudança ou não dos hábitos.

Nessa pastelaria existem pastéis dos mais variados sabores, e pode ocorrer de uma mesma pessoa diferente pedir vários pastéis de diferentes sabores. Como os pastéis são muito parecidos por fora, ficaria difícil para o cliente saber qual sabor é qual, então esse pastel vem numa espécie de saquinho, que cobre metade do pastel, e nesse saquinho os funcionários da pastelaria costumam escrever o sabor do pastel.

Foi sempre assim, até que de um tempo pra cá a pastelaria colocou outro saquinho para ser colocado os pastéis, que é igual ao antigo, mas difere no design dos desenhos. Nesse novo saquinho tem uma listinha com todos os sabores disponíveis, e do lado do nome tem um quadradinho de marcar.

A ideia era que fosse marcado nesse quadradinho o sabor do pastel, mas por algum motivo os funcionários da pastelaria continuam a escrever o nome do sabor, mesmo tendo uma listinha apenas para marcar.

Pensando sobre isso percebi que nada mais é do que um hábito, e para se mudar um hábito leva tempo, é preciso que os donos dessa pastelaria comecem a mostrar aos funcionários que é mais fácil somente marcar o sabor na listinha do saquinho.

Mudar um hábito, ou criar um, é uma tarefa muito difícil, eu mesmo tenho um exemplo com isso. Hoje em dia faço exercícios três vezes por semana, não é nada mirabolante, são apenas 20 minutos no simulador de caminhada, e depois alguns exercícios como levantar peso, abdominal, marinheiro, e pular corda.

Hoje isso para mim já se tornou um hábito, mas não foi tão fácil quanto parece. Há alguns anos eu era gordinho (leia-se fofinho), e não fazia muitos exercícios. Tudo começou a mudar quando comecei a jogar bola numa escolinha da minha cidade.

Esse ficou sendo meu exercício, até que me apaixonei por uma garota, e para ficar bonito para ela comecei a acordar cedo e dar duas voltas no quarteirão da minha casa. Isso durou quase um mês, até que parei. No meio do ano descobri o Nike Bootcamp, um treinamento da Nike dedicado aos boleiros para a fase de pré-temporada, fiz o treinamento completo. Depois minha mãe comprou uma bicicleta ergométrica, e então comecei novamente a acordar cedo e fazer 20 minutos de corrida, ainda motivado pela mesma garota. Isso durou três meses, até que chegaram as férias de verão, e nessas férias mais uma vez fiz o Nike Bootcamp.

Continuei jogando bola, chegando a treinar numa equipe de campo e numa de futsal, até que ficou impossível, então fiquei apenas na equipe de futsal, até que não fui valorizado e voltei aos campos. Tudo correu bem até que cheguei ao ensino médio. Nesse ano fiz uma cirurgia para retirar um sinal, que me deixou quase um mês fora dos campos. Depois de recuperado não voltei a jogar bola, pois os jogos eram sempre nos sábados, e no meu colégio quase todo sábado tinha prova. Foi nessa época que comecei a me dedicar a escrever num blog, e estou aqui até hoje.

Durante esse tempo fazia exercícios uma vez perdida, e só não voltei a ficar fofinho porque comecei a vir a pé do colégio para casa, o que dava mais ou menos 1,5 km. Nas férias antes de começar o terceiro ano decidi novamente fazer o Nike Bootcamp, que infelizmente não existia mais da mesma forma, então peguei o que tinha e improvisei o resto.

Nesse mesmo ano minha mãe comprou um simulador de caminhada, e passei a usar ele de vez em quando. Até que no começo de 2013 decidi tornar o exercício um hábito, começou devagar e tinha semana que fazia uma vez, noutra fazia duas. Mas depois de um tempo me acostumei ao fato, e agora já é um hábito, não tenho tempo nem de ter preguiça de não ir fazer, pois é um hábito e já estou acostumado.

Enfim, tudo isso é para mostrar como se muda um hábito, ou como cria um, é um processo que leva tempo. E voltando a pastelaria dia desses fui lá novamente, estava lotada, e fiquei observando eles colocarem o pastel no saquinho, e descobri o motivo deles não utilizarem a listinha. A verdade é que escrever o nome torna o processo mais fácil, pois são diversos pastéis e eles precisam colocar rápido, como a listinha é pequena iria demorar mais se eles fossem olhar para conferir se aquele sabor de pastel é daquele pedido, além disso, é complicado ficar olhando a notinha para ver se esse pastel é mesmo desse pedido.

Sendo assim podemos perceber outra coisa, alguns hábitos precisam ser modificados com o tempo para cada tipo de pessoa. Nem todo mundo vai conseguir fazer exercício três vezes na semana, mas talvez consiga duas. E no caso do pastel aquilo não é a solução, aumentar a letra da listinha e colocar ela mais em cima talvez seja. Com mudanças e adaptações é que se muda os hábitos.

Obs.: Não há erro ortográfico no título do texto, isso é proposital.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *