Educando as crianças e ensinando a conviver e respeitar o diferente

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

A educação de uma criança vem de casa, a escola tem o papel de ensinar, mas educar é obrigação dos pais.

Em um mundo onde a discriminação e o preconceito existem é dever dos pais ensinar o filho a ter respeito pelo próximo.

No mundo em que vivemos existem várias formas de cultura, modo de vestir, de se comportar, vocabulário, penteados, cada um é de um jeito e as diferenças que são cada vez mais visíveis devem ser respeitadas.

A discriminação vivenciada cotidianamente compromete a socialização e interação tanto das crianças negras quanto das crianças brancas, mas produz desigualdade para as crianças negras, a medida que interfere no seu processo de construção de identidade, de socialização e de aprendizagem.

Devemos vincular à vida cotidiana das crianças a realidade em seus aspectos sociais, culturais e locais, com o intuito de oportunizar o acesso a outras culturas e costumes.

A criança muitas vezes é o espelho que reflete o circulo social em que vive. Se é uma criança criada por pais preconceituosos tem muita chance de ser como os pais, pois o mau exemplo vem de dentro de casa e é reproduzido naturalmente, e sem perceber a criança ofende e magoa, e isso é ruim para quem é ofendido e magoado.

Se for uma criança criada convivendo com o diferente, modos, costumes, cultura, religião, as chances de ser mais tolerante quando vê algo diferente é bem maior.

Meninos podem usar tranças?

Podem sim.

Os meninos e homens negros podem ter cabelos grandes?

Claro que sim.

Não deveria ser estranho nos dias de hoje um menino usar tranças, pois dependendo da cultura em que ele foi criado isso é perfeitamente normal.

Mas infelizmente não é assim que as coisas funcionam, dependendo de que círculo de amizades frequentes na escola e espaços de convívio social em que esteja inserido, isso pode ser um problema.

O que fazer diante de uma situação dessas?

Ensinar a criança a se defender quando for ofendida ou discriminada por conta do tipo de cabelo que usa, incentivar a continuar usando e não mudar seu comportamento por causa de outras pessoas. Se for criança e frequentar escola, converse com a professora para saber como ela lida com a situação.

E principalmente não omitir o fato ocorrido, pois isso pode traumatizar a criança e trazer consequências negativas.

Não seguir um padrão de beleza imposto pela sociedade, ensinar as pessoas que a diversidade existe e está aí para ser respeitada, que todos devem ter seus valores, costumes e cultura respeitados.

Elevar a autoestima de uma criança.

Reforçar a construção de sua identidade.

Aceitando-se como é, sem a necessidade de mudanças para seguir os padrões de beleza ditado pela mídia.

E esta elevação da autoestima deve vir de casa e não esperar que a escola sozinha ensine isso. A família tem um importante papel na construção dessa identidade, pois se a família é espelho que reflete tudo de bom e de ruim, bons valores devem ser refletidos e passados adiante.

Texto por Lily da Silva.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.