Devo ser um filho da puta

Tempo de leitura: 2 minutos

Pensando

Antes de qualquer coisa quero dizer que minha mãe não é nenhuma mulher da vida, e que esse título não quer dizer nada disso. Minha mãe não tem esse tipo de trabalho. O título desse texto é por outro motivo.

É que estive pensando sobre a minha vida, mais exatamente sobre o meu passado e como vivi até hoje, e aí percebi uma coisa. Percebi o quanto sou babaca por reclamar de coisas que na verdade já foram me dadas.

Isso não é de hoje, faz um tempo que percebi essas coisas. Foi há alguns anos atrás, quando passei por aquela fase de dizer que ninguém me ama, ninguém me quer, e que todas as garotas do mundo querem homens cafajestes. Sem querer olhei para o passado, e vi que na verdade a culpa era minha. Com quantas garotas eu tinha ido falar? Quantas garotas já havia-me dado um sorriso e eu nem para retribuir?

Cheguei então à conclusão de que muitas das coisas que reclamamos na verdade são bobagens. São coisas que já nos foram dadas de mão beijada e a gente nem para aproveitar. Então depois de alguns anos reclamamos da vida que não temos, dos lugares que não fomos e das mulheres que não possuímos.

Reclamamos, mas às vezes aquele Playstation estava na promoção um dia e você não comprou porque não estava juntando dinheiro. Uma agência de viagens fez uma sensacional promoção para a Colômbia e você não partiu porque sua namorada (agora ex) não podia ir. Ou não possuiu aquela mulher que te deu um sorriso por medo de ser rejeitado.

Nós reclamamos muito de coisas sem sentido, e não olhamos para trás para perceber que talvez a nossa chance já passou. É como um professor meu diz: o cavalo branco selado só passa uma vez, e temos que partir já. Quanto a isso acredito que talvez o cavalo branco possa passar até duas vezes, mas mais do que isso já é demais.

Acredito também que 90% das pessoas que reclamam da vida são uns filhos da puta, que não aproveitam suas oportunidades e depois ficam resmungando que o mundo nunca lhes dá nada.

E não pense que sou diferente, em algumas situações também sou um filho da puta reclamão. A única diferença entre mim e você é que eu admito.

1 comentário


  1. pensando bem, um dia todo mundo acaba reclamando da vida
    por algum motivo seja qual for. mas sempre vai ter esse dia.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.