Ficar só reclamando não resolve seus problemas

Tempo de leitura: 2 minutos

Reclamando

Reclamar é bom, e faz parte de qualquer impulso para a mudança. Mas ficar reclamando o dia inteiro não irá resolver, é preciso fazer algo. Que tal se levantar dessa cadeira e resolver seus problemas?

A reclamação faz parte, e é um gatilho para que as coisas mudem, mas só sair nas ruas pedindo melhor educação não resolve tudo. É preciso quem um político pegue a reclamação e faça alguma coisa, ou mesmo você se candidate, ganhe e vá lá mudar o Brasil.

A notícia que me faz escrever esse texto é a de que, supostamente, o Governo iria adiar a obrigatoriedade dos carros virem em 2014 já equipados com air bag duplo e freio ABS. Tudo isso com o objetivo de trazer mais segurança ao trânsito, porém a Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores), queria adiar a implementação dessa obrigatoriedade por dois motivos: Primeiro porque isso pode provocar de 10 mil a 15 mil demissões por causa da extinção das linhas de produção de determinados modelos e o impacto sobre o setor de autopeças (motivo justo), e segundo porque o preço dos carros tende a aumentar de R$ 1 mil a R$ 1,5 mil.

O Governo nem estava tão preocupado com esse segundo motivo, mas na reportagem que vi alguns consumidores reclamaram desse aumento de preço, e para eles tenho um recadinho. Te vira, se o carro vai ficar mais caro, te vira, trabalhe mais, gaste menos, ou divida em mais parcelas. Agora reclamar não é a questão, ninguém está-te obrigando a comprar um carro. Não tem dinheiro não compre, ou divida.

Todo mundo coloca a culpa nas montadoras, no Governo, mas às vezes a culpa é sua. Será mesmo que você precisa de mais uma blusa, ou de um sapato, ou trocar de celular? Será mesmo que isso é tão importante? É como pessoas que reclamam dos impostos que o Governo cobra, mas continuam gastando mais do que seus salários, todos os meses.

Bichão, te vira. O leite vai ficar mais caro, assim como o arroz, o feijão, o celular, a roupa, o pastel da esquina, o corte de cabelo, a gasolina e o carro. Mas ninguém está nem aí pra você, compre o carro se quiser, se endivide se quiser, ninguém está-te obrigando. A propaganda não está-te obrigando, ela só está ajudando a te convencer, mas a mente, o corpo, e o dinheiro são seus, gaste se quiser, reclame depois por ter gastado, mas saiba que gastou porque quis. Reclamar por reclamar não resolve nada, se alguém não resolver fazer algo.

Por isso repita comigo: o dinheiro é meu, a vida é minha, faço dela o que eu quiser, só não vou reclamar depois no seu ouvido porque o problema é meu, e eu vou-me virar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.