Desculpas? Yes, we can (deny)!

Tempo de leitura: 1 minuto

Inimigos, inimigos, desculpas à parte.

Obama e Osama

Não é novidade que Bin Laden foi morto por mão, ou melhor, arma americana. Sabe-se de duas coisas: 1) suas últimas palavras foram: “Oh, e agora? Quem poderá me defender?” e 2) o Chapolim não apareceu.

Obama vence

Enquanto Osama deixa aqui suas três esposas para aproveitar suas virgens no paraíso, Obama (não confunda os nomes) se sente como se tivesse zerado um jogo de videogame depois de três anos de tentativa e, ao receber a notícia, solta um berro dentro da Casa Branca: “Não contavam com minha astúcia!”.

Hoje, no entanto, o primeiro-ministro paquistanês (o Paquistão tem isso?) reclamou do unilateralismo dos EUA na operação e solicitou que o país ocidental pedisse desculpas, já que a ação ocorreu 15 minutos antes de a informação chegar ao premiê Islamabad. Jay Carner, porta-voz da presidência americana, disse que os Estados Unidos trataram seriamente as queixas, mas que não cederiam aos pedidos da mesma.

Se a notícia diz isso, tudo bem. A imprensa às vezes é incontestável…

Osama humilha Obama

…mas será que o motivo da recusa não teria sido esse?

Tímidos, então, os holofotes deixam de iluminar Kate e William =(

Acontecimento do ano

Ah, Kate (que tá a cara da Dona Florinda nessa foto aí de cima)… Não fica assim! Se divorcie. Talvez eles voltem a te iluminar 😉

Texto por Rafael Fernandes.

2 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.