Sessão Nostalgia: Madeline

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

Madeline

Madeline (leia-se Madelaine) é um desenho animado exibido de segunda à sexta-feira pelo Canal Futura. Que foi baseada na série de livros de Ludwig Bemelmans, nascido em 1898 no Tirol (Áustria).

A série conta, de forma divertida, a história da menina órfã, que vive com suas companheiras e amigas em um orfanato católico de Paris. Madeline vive grandes aventuras a cada episódio com suas amigas do orfanato.

Gosto muito de escrever descrições nos personagens da Sessão Nostalgia, mas gostei muito da descrição sobre Madeline no site oficial. Por isso resolvi traduzir e colocar aqui:

Publicado pela primeira vez em 1939, Madeline e todas as suas cinco continuações se tornaram clássicos, brinquedos, jogos, bonecas, séries, e até mesmo um filme. O Madeline original foi nomeado com um Caldecott Honor Book, e a primeira de suas sequências, Resgate de Madeline, recebeu a Caldecott Medal.

Mas o que é que esse personagem tem que encanta os leitores há mais de 60 anos? A resposta é atitude. Madeline tem sido descrita como uma encantadora impetuosa, irreprimível, travessa e precoce. Ela pode ter sido a menor das 12 meninas, mas certamente foi a mais experta. Vestindo seus chapéus de marinheiro e casacos idênticos, Madeline é idêntica visualmente a todos as colegas, exceto por seus cabelos. Mas Madeline se destaca, não por causa da maneira como ela olha, mas porque, ao contrário das outras meninas, ela é completamente destemida. Quando ela ousadamente diz ao tigre no zoológico “Pooh, pooh”, você sabe que o que ela está realmente dizendo é: “Eu não tenho medo de você ou qualquer outra coisa neste mundo!”.

Nenhuma dúvida sobre isso. Madeline é uma corajosa garotinha, e é isso que faz dela um modelo único num momento em que princesas de contos de fadas definiram feminilidade para as meninas. Madeline deu aos jovens uma razão para explorar quem eles eram como indivíduos, mesmo que isso significasse ser um pouco desobediente. Ela deu às meninas a coragem de falar o que pensam e mostrou-lhes que não havia nada de deixar de ser feminina ao ser inteligente e forte.

Madeline herdou sua personalidade corajosa de seu criador, Ludwig Bemelmans. Como Madeline, Bemelmans era de um espírito livre e um homem de opiniões fortes. Bemelmans sempre se considerou mais um artista ilustrador do que um escritor, e mais tarde na vida ele se tornou um pintor sério. Isso não quer dizer que ele não toma a sua escrita a sério, pois ele teve o cuidado de nunca insultar o seu público jovem. “Estamos a escrever para crianças, mas não para idiotas.”, ele disse certa vez.

Bemelmans levou os leitores de Madeline a um turbilhão de aventuras em Paris, Londres, e no interior da França, ensinando assim algumas expressões em francês, demonstrando naturalmente ao público infantil um pouco desse idioma. Não admira que Madeline se tornasse um fenômeno mundial. “Foi isso que aconteceu, só isso, mais nada”.

E como diria Madeline: “Até mais ver, em francês, Au revoir“.

Com informações da página oficial da Madeline (em inglês) e da Wikipédia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.