O Brasil perdeu e o que aprendemos com isso

Tempo de leitura: 5 minutos

Brasil 1 x 7 Alemanha

A Seleção Brasileira perdeu, consequentemente o Brasil também perdeu um pouco. Perdemos o hexa, perdemos a chance de ganhar um título em casa, mas agora é bola pra frente, precisamos melhorar, no futebol e em muitos outros aspectos. O Brasil não pode ficar esperando levar outros 7×1 para poder mudar, aliás, time que está ganhando se mexe sim, ou você prefere esperar o time perder para finalmente mexer?

Percebi alguns pontos durante o jogo da Alemanha em que podemos tirar uma lição, e que já eram coisas que percebi que estavam erradas. Lembrando que sou apenas um torcedor como qualquer outro, e que os pontos refletem a minha visão de jogo e de vida.

Liderança

Um aspecto muito importante em qualquer time, seja ele de futebol ou de uma empresa, é que é necessário a figura de um líder, alguém que impulsione o time para frente. No jogo contra a Alemanha, o Brasil perdeu seus dois grandes líderes, Thiago Silva fora do jogo por ter tomado dois cartões amarelos, e Neymar com uma lesão. Thiago era o capitão, aquele que tinha uma responsabilidade dentro de campo e que tinha certo poder. Neymar era o 10 do time, e por isso representava certa liderança entre os jogadores. Os dois ficaram de fora do jogo, David Luiz tentou, mas ele nunca foi preparado para assumir a posição de capitão. Além disso, fora das quatro linhas, tínhamos um Felipão que não fez nada, que ao levar os gols ficou ali parado, sem entender. Tudo bem, entendo que foi algo que não era esperado, mas é aí que o grande líder aparece, nesse momento ele vai lá, chama o time, grita, arruma, e não fica sentando esperando levar outros um, dois, três, quatro gols. Não acredito que uma alteração fosse necessária, mas uma simples palavra do líder para o time todo voltar já seria suficiente.

Admitir os erros

O Brasil perdeu, todos vimos, passou na TV, então por que é que não admitimos? O time jogou mal sim, se tivesse sido apenas um apagão de seis minutos não teríamos levado os dois últimos gols. Se todos sabem disso, por que é que inventam histórias de que a CBF recebeu dinheiro para perder, que a FIFA comprou o jogo, que a Dilma não pagou a Copa toda. Por que não admitimos que jogamos muito mal, e que a Alemanha soube impor seu futebol e nem precisou trabalhar muito para fazer o gol. Perdemos também da Holanda, e perdemos porque não jogamos bola. O Brasil não jogou bem contra a Holanda como o Felipão e o Oscar disseram, na verdade o Brasil chegou muitas vezes perto da área, mas não chutava, e sem o chute a bola não entra. O juiz errou? Errou feio, mas e por que não corremos atrás do placar e fizemos outros três gols. Oscar estava precisando ir lá na zaga para pegar a bola, e tinha hora que precisava jogar sozinho, pois não tinha para quem tocar. Mas isso só aconteceu porque jogamos mal.

Precisamos assumir nossos erros, erramos no jogo, não temos a melhor educação do mundo, e nem somos um país sem pobreza. Precisamos admitir que erramos e só então ir em busca de corrigir esse erros.

Estar pronto para mudanças

Levamos um, dois… sete gols, mas há muito tempo não temos opção de mudança. O Brasil joga de um jeito e pronto. Não temos uma estratégia para jogar com quatro zagueiros, sem volantes. A formação tática é aquela e ninguém insiste em mudar. Esse era o problema que não gostava em Mano, que sempre jogava com seus dois volantes, e o que Felipão repetiu. O Brasil não sabia jogar de outra forma. O time estava jogando mal e Felipão só sabia colocar outro jogador da mesma posição. Não existia uma alteração ousada, para realmente mudar a forma do time jogar. Talvez tirar Fred e colocar um meio campo, ou tirar um volante, colocar um zagueiro e mandar David Luiz assumir a posição de volante. Era tudo mais do mesmo.

Um time, seja de qual tipo for, precisa estar pronto para mudanças. E as mudanças não podem ser pensadas na hora do problema, elas têm que ser analisadas e testadas antes mesmo de se tornarem necessárias. Pois quando elas forem necessárias, já seria tarde de mais. Precisamos estar prontos para mudar a qualquer momento, seja levando um 5×0 da Alemanha, ou um 2×0 da Holanda.

Descer do salto

Por último precisamos descer do salto. O Brasil já foi uma seleção sensacional e uma das melhores do mundo. Hoje enfrentamos diversos problemas, e vamos passando com muito sufoco. Precisamos admitir que o futebol mudou, e que nome de time não ganha jogo, quem ganha é o time dentro de campo. A Costa Rica está aí para provar isso, um time sem tradição na Copa do Mundo, mas que dentro das quatro linhas trabalhou muito bem. A Seleção Brasileira precisa parar de dizer que tem cinco estrelas, e realmente formar um time para conquistar a sexta, independente dos outros títulos que já teve. História é história, e ela não ganha jogo. Quem ganha jogo é quem joga bola e consegue fazer mais gols que o adversário.

Perdemos, mas é na derrota que podemos tirar as melhores lições.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.