Certo? Errado?

Tempo de leitura: 3 minutos

Certo ou errado

Afinal, o que é de fato certo ou errado? Nós vivemos totalmente baseados em “nossas” crenças, crenças essas que nos foram ensinadas e passadas através de gerações. Religião, senso de moral, ética… fé. Todos vivemos acreditando em um certo e em um errado, cada pessoa acreditando em valores diferentes, mais ainda assim acreditando em alguma coisa, e quando digo alguma coisa, quero dizer qualquer coisa mesmo. E sinceramente, será que existe a mínima, ínfima, pequena chance de tal crença em que acreditamos estar errada? Não estou falando de religião, estou falando realmente de tudo! Levando isso em conta, seria um absurdo dizer que todos vivemos em um mundo de sonhos? Vivemos presos em nossos próprios sonhos, vivendo e acreditando em nossas próprias crenças que de fato podem não estar 100% corretas.

O que é certo? O que é errado? Eu não entendo muito agora, sinceramente nem sei se vou saber um dia. Quem somos nós para julgar qualquer tipo de coisa? Hoje em dia parece que cada vez mais as pessoas querem falar e comentar sobre todos os assuntos, sem nem mesmo ter de fato uma opinião. Talvez devêssemos parar de “ter aquela velha opinião formada sobre tudo”. Vou contar uma historinha, mas de forma resumida.

Há muitos e muitos anos atrás existia um médico, Júpiter. Não existiam muitos médicos naquela época e a medicina era medonhamente atrasada. Júpiter era considerado o melhor médico da época e este era extremamente influente e rico. Necessitado por saber mais e mais, nosso médico começa a fazer experiências com mendigos. Homens, mulheres, senhores, crianças. Júpiter retirava os mendigos das ruas e os amarrava em camas onde esses tinham os corpos abertos, mesmo vivos (sem anestesia), para que o doutor pudesse estudar e entender o funcionamento do corpo humano. Sim, cortava os pobres coitados ao meio para olhar tudinho por dentro do corpo. Tinham que estar vivos para que tudo ficasse funcionando, pelo menos por um tempo. Com o passar dos anos não havia mais mendigos nas ruas para que o doutor pudesse examinar, sendo assim Júpiter começou a fazer propostas horrendas as pessoas. Quando uma família tinha um integrante realmente muito doente, ele cobrava certo preço para tratar de tal indivíduo. A proposta do nosso médico era uma vida por outra, Júpiter trataria a pessoa da família e a deixaria melhor, cobrando como pagamento outro integrante da família para suas experiências. Famílias desesperadas acabavam aceitando, dando seus filhos recém-nascidos, seus avós. Homens, mulheres, senhores, crianças. Estima-se que 20 mil pessoas foram mortas de tal forma cruel durante os anos de estudo do nosso médico. Ele foi um monstro? Sem coração? Bom, o FATO é que a medicina avançou de uma forma incrível graças as suas descobertas, de forma que talvez apenas nos dias de hoje nós estaríamos resolvendo pequenos problemas como cistos, apendicite e etc. Procurem pensar, foram 20 mil mortos de forma cruel e brutal, mas e quantas vidas foram salvas através de tantos anos? Bilhões? Problemas simples resolvidos. Grande parte do que sabemos hoje é e foi graças a ele.

Os fins não justificam os meios? Nós teríamos dado um jeito? Talvez.

As coisas parecem acontecer por alguma razão ou por algum sentido e muitas delas nós não sabemos por que acontecem, como se não tivéssemos a capacidade de entender tudo agora. Nós apenas temos fé. Independente do julgamento da história, o fator principal a se pensar é que o mundo precisa desse tipo de pessoas. O mundo infelizmente precisa de pessoas que façam as coisas, sejam elas ruins ou boas. Por isso temos que buscar sermos os mais úteis o possível. E o coração? E o amor em que acredito? Ninguém deve sofrer ou morrer para a evolução do mundo.

No que você acredita? Será que é o certo? Seja o que for, apenas acredite, o mundo precisa de pessoas que acreditam, que ainda não desistiram.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.