Andadores para bebês estão proibidos e a culpa é sua

Tempo de leitura: 3 minutos

Andador infantil

Recentemente o programa Fantástico, em parceria com o INMETRO, fez uma matéria testando marcas de andadores infantis, aqueles objetos utilizados para ajudar as crianças a aprender a andar. O resultado foi que todas as marcas foram reprovadas. No momento da matéria fiquei intrigado com um teste, um teste que avalia se corre risco do andador virar quanto está na escada, no momento fiquei indignado, mas fiquei calado.

Até que agora, como informou o portal Administradores, através de uma liminar que vale para todo o Brasil, a justiça do município de Passo Fundo (RS), determinou a proibição da venda de andadores infantis por conta do alto risco de acidentes fatais.

A proibição se baseia no fato de que o aparelho é apontado como um dos produtos infantis que mais causam acidentes envolvendo bebês e já teria provocado mortes e lesões graves. Sem contar que especialistas não recomendam o uso do andador, pois ele atrapalha o desenvolvimento natural da musculatura da criança.

Por enquanto tudo bem, até que a matéria do Administradores falou de um caso de morte que aconteceu em 2009 por causa de um andador, e que justamente reitera o que pensava quando assisti a matéria do Fantástico. Essa morte havia acontecido quando um bebê de 10 meses caiu quatro degraus e bateu a cabeça. A criança não teve nenhuma reação visível (como choro ou vômitos), mas acabou sofrendo um edema na cabeça e faleceu após 24 horas. E a mesma matéria afirma que o uso do andador acarreta o risco de crianças se aproximarem de piscinas, superfícies e produtos químicos.

É aí que entra a minha questão, por mais que seja triste dizer isso a um pai/mãe que perdeu seu bebê, a verdade é que a culpa da morte é deles. Veja, um bebê não tem capacidade de diferenciar certas coisas muito fácil. Além disso, ele está descobrindo um novo mundo, e quer pegar em tudo. O problema então não é a cadeirinha, são os pais ou responsáveis.

Quem foi que falou que um andador impede uma criança de ir para uma escada, ou dentro de uma piscina. Cadê os pais dessas crianças que não estavam por perto? Será mesmo que posso deixar meu futuro filho usando um andador e depois ir fazer outra coisa, sem ficar prestando atenção nele? Os pais estão pensando que um andador permite que eles tirem a atenção de seus filhos e vão fazer outra coisa. Meu amigo, o filho é seu, fez porque quis, o filho ou sexo. Agora o problema é seu, te vira, não adianta reclamar que o andador oferece perigo do seu filho cair da escada. Cadê você que não estava por perto olhando ele?

Nesse quesito devo concordar com os fabricantes dos andadores, que advertem que o produto deve ser utilizado sempre com a supervisão dos pais. Em entrevista ao G1, Synesio Batista da Costa, presidente da Associação Brasileira de Produtos Infantis, adverte que os acidentes são resultado da negligência dos pais. Segundo ele, 7,5 bilhões de pessoas no mundo inteiro cresceram usando o andador.

Seu filho vai cair da escada, na piscina, pegar produtos químicos, e fazer muitas coisas erradas se você não estiver por perto. A culpa não é do andador, é sua, assuma.

Fonte: Administadores

16 Comentários


  1. o andador deve ser proibido por razoes que vão alem da negligencia dos pais, como vc somente citou no texto muitas pessoas não tem consciência que andadores prejudicam os membros inferiores dos bebes. além e claro do risco de traumatismo craniano. mesmo que vc esteja ao lado do seu bebe se por algum motivo uma roda travar ou mesmo ser barrada ate por um desnível do chão a primeira coisa que bate e a cabeça e isso pode acontecer em segundos mesmo com a supervisão dos pais. temos que ficar atento as crianças sempre. e quando algo pode prejudicar nossos filhos temos o dever de alertar os outros pais que acham que o andador e inofensivo mas não e. esse e um artigo que fala sobre risco de andadores no desenvolvimento das crianças
    http://fisioterapiahumberto.blogspot.com.br/2011/09/andador-de-bebes-alem-de-atrasar-o.html

    Responder

    1. Michele,
      O andador tem seus problemas sim, e não toquei muito nesse assunto porque a questão principal do texto não era essa. Mas boa parte dos acidentes se evita deixando a criança num local plano e os responsáveis sempre por perto.

      Responder

  2. Nossa, Luciano, você não é pai, não é?
    Cheio de contradições, você diz que a culpa é do "prevenir para não remediar".
    O remédio seria então parar de usar andadores para não acontecer nada mais grave. Não é óbvio?

    Responder

    1. Não, não sou pai, e justamente por isso posso ter uma visão neutra do assunto. Parar de usar o andador pode ser uma decisão, mas o que quero mostrar é que a culpa de problema graves não está em usar um andador ou qualquer objeto do tipo. A culpa está em achar que o bebê pode brincar totalmente sem a supervisão de alguém.

      Responder

  3. Pelo visto vc não entendeu nada né. Nos manuais de instrução dos andadores, tem o aviso que o produto sempre que for usado precisa de supervisão de um adulto. A criança vai se acidentar mesmo que não esteja usando o andador, ou vc acha que criança engatinhando não vai ir até uma escada, por exemplo ? De qualquer modo sem algum adulto olhando a criança, o risco de acidentes existe em qualquer situação.
    Lei proibindo o uso pra mim é uma coisa autoritária, o certo é deixar que os pais optem ou não a usar o produto.
    Obs.: Eu sou pai….ok

    Responder

    1. Essa é justamente a questão que discuto no post, você, de certa forma, está colaborando com o que digo. Justamente, se a criança vai se acidentar, a culpa não pode ser do andador.

      Responder

  4. Quando meu filho usava o andador eu ficava o tempo inteiro andando perto ou atrás dele ( o andador ajudou muito e ele não sofreu nenhum acidente) o andador não causa acidentes se a criança estiver sob os cuidados de um adulto, escada e criança realmente não combinam, existem itens de segurança que evitam acidentes com escadas como as grades infantis eu tenho e recomendo.

    Responder

    1. Isso aí, tem que acompanhar o filho, ou então colocar o máximo de itens de segurança, e deixar a criança num local totalmente plano.

      Responder

  5. Falou tudo, a questão é a imbecilidade dos pais que ignoram que uma criança de meses não tem discernimento mental para identificar perigos. É muito mais fácil colocar a culpa no andador. Esses pais não são diferentes dos que perdem seus filhos para a violência social, outro dia via uma noticia na TV onde a mãe de uma menina estrupada e morta em uma favela dizia do Rio, dizia que havia deixado a menina de 7 anos sozinha por 1 minutinho enquanto ia na birosca comprar cigarros, detalhe durante um baile funk às altas horas da madrugada. É ou não é uma imbecil? AGORA PÕE A CULPA NA VIOLÊNCIA, NÃO, NÃO A CULPA É DA MÃE!!!!!!!

    Responder

  6. Falou tudo, a questão é a imbecilidade dos pais que ignoram que uma criança de meses não tem discernimento mental para identificar perigos. É muito mais fácil colocar a culpa no andador. Esses pais não são diferentes dos que perdem seus filhos para a violência social, outro dia via uma noticia na TV onde a mãe de uma menina estrupada e morta em uma favela dizia do Rio, dizia que havia deixado a menina de 7 anos sozinha por 1 minutinho enquanto ia na birosca comprar cigarros, detalhe durante um baile funk às altas horas da madrugada. É ou não é uma imbecil? AGORA PÕE A CULPA NA VIOLÊNCIA, NÃO, NÃO A CULPA É DA MÃE!!!!!!!

    Responder

  7. O governo faz o que ele sabe fazer de melhor ou seja MERDA , mas é claro é muito mais fácil proibir do que educar incrível que a desculpa agora é sempre a mesma pq morreu um filho de um pai ignorante e acéfalo que não cuidou do filho agora todos os que cuidam do seus terão que pagar a culpa de um imbecil típico do governo bra$ileiro …Já tinham feito a mesma imbecilidade com a álcool esse ano pqp essa merda de governo federal não aprende mesmo …

    Responder

  8. Concordo com o texto. É o mesmo caso do Álcool líquido. Para que uma criança sofra algum tipo de acidente, o frasco tem que estar em um local onde o acesso é possível. Se fosse guardado de forma apropriada os acidentes não aconteceriam

    Responder

  9. Falou tudo, a questão é a imbecilidade dos pais que ignoram que uma criança de meses não tem discernimento mental para identificar perigos. É muito mais fácil colocar a culpa no andador. Esses pais não são diferentes dos que perdem seus filhos para a violência social, outro dia via uma noticia na TV onde a mãe de uma menina estrupada e morta em uma favela dizia do Rio, dizia que havia deixado a menina de 7 anos sozinha por 1 minutinho enquanto ia na birosca comprar cigarros, detalhe durante um baile funk às altas horas da madrugada. É ou não é uma imbecil? AGORA PÕE A CULPA NA VIOLÊNCIA, NÃO, NÃO A CULPA É DA MÃE!!!!!!!

    Responder

  10. A única maneira de se evitar de acontecer algo mais grave é não descuidar dos filhos! Não se deixa uma criança sozinha UM MINUTO SEQUER! Um minuto é mais do que suficiente para que um acidente, inclusive fatal, ocorra.

    Na minha família nunca usamos andadores, mas não pela questão dos acidentes, mas porque na nossa opinião torna a criança "preguiçosa".

    Responder

  11. A michele tem toda razão, o andador quando trava ou vira, impede a criança de apoiar as mãos na queda, ela portanto bate a cabeça primeiro, resultando em um traumatismo craniano, ou uma lesão na cervical.
    É claro que a criança está sujeita a sofrer uma lesão dessas sem o andador, mas com o andador as chances da criança sofrer esse tipo de lesão aumentarão consideravelmente.
    Não é questão de irresponsabilidade por parte dos pais, a única maneira de evitar que seu filho trope-se e caia, ou que o andador trave a rodinha e caia é se o pai abrir os bracos 24 horas por dia feito uma águia em torno da criança pra vigia-la o que é ridículo, porque tombos são um processo natural do aprendizado motor da criança, mas agora um aparelho que evita que a criança utilize os braços para se proteger dos tombos, deve ser proibido.

    Responder

  12. Alguns meses uma criança caiu da escada rolante de um shopping, e os pais processaram o shopping, pois a escada rolante não era segura, parece piada.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *