Queria você outra vez

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

Garota dobro

Esse post foi gravado em áudio. Se você preferir pode ouvir o áudio ao invés de ler o texto.

Faz um longo tempo que tudo aconteceu, que nos conhecemos pela primeira vez. Foi num final de Janeiro, e eu me apaixonei. Você apareceu sem conhecer ninguém, e tudo o que eu mais queria era poder conhecer você, mas não era um dos garotos mais extrovertidos.

Fiquei observando você de longe, na esperança que você pudesse-me olhar, e pouco mais de um mês depois de nos vermos pela primeira vez, você já era a dona do meu coração. Na verdade você já era desde o primeiro dia.

E como outras paixões minhas do passado não poderia deixar você escapar, e por mais errado que fosse enviei uma declaração para você pelo falecido Orkut. Nessa declaração expressei meus sentimentos e falei que estava amando, é eu sei, era muito cedo para isso, e na época ainda não sabia a diferença de amor e paixão.

E mesmo tendo enviado a declaração nada aconteceu entre nós, talvez a culpa tenha sido minha, na verdade a culpa é minha. Minha timidez me impossibilitou de ir falar com você, e isso pode ter mudado toda a história. Mas isso não importa mais, sofri muito por você, mas depois de muitos anos, muitas lágrimas, e muito arrependimento, finalmente eu te superei.

O problema é que agora a situação é outra, novamente estou flertando com você, mas agora é tudo diferente. Esqueça o cara que se apaixonou por você anos atrás, esqueça o sentimento que ele tinha na época, pois esse sentimento de agora é totalmente diferente. Agora é tudo uma questão de desejo, não tem paixão, não tem amor, é apenas um desejo enorme de ter você. Quando falo de desejo estou falando de desejo sexual, mas não de sexo. Falo de corpos colados, beijos amassados e abraços bem apertados.

O que tenho mais medo nessa situação é que as pessoas pensem que nunca te superei, e inclusive você mesma pense isso. Não, não tem nada a ver com aquela história do passado, aquilo morreu. É como se você fosse uma garota que nunca vi na vida, e de repente comecei a sentir desejo por você.

É óbvio que quero namorar com você, é que sou assim, basta ver uma garota que interesse e pronto, já penso nos jantares a luzes de vela e nos potes de sorvete assistindo comédias românticas.

E também penso em você, e nesses dias consegui comprovar que formaríamos um casal foda, mas não sei o que fazer. Não sei como tentar-te conquistar sem que pareça que ainda não te superei. Às vezes penso sobre isso e digo dane-se, dane-se ela achar que ainda não a superei, o importante é que vou ter conseguido pegar ela. Pegar mesmo, porque agora não tem nada a ver com o doce que foi nossa história no passado, porque aquilo morreu. E mesmo que nunca tenhamos ficado na vida, e por mais que pensem errado sobre o que desejo, eu queria você, outra vez. Vem!

Antes que me esqueça, para mostrar o quanto quero você de novo, é que escrevi esse texto com dois parágrafos em sequência começando com a mesma letra, menos essa frase, que é para mostrar que o que sinto agora não tem nada a ver com a outra vez.

*Esse texto pertence ao Cartas Para Elas, um apêndice do romance Desilusões Apaixonadamente Amorosas, e fala sobre a personagem Alexia.

1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.