A amiga destruidora de sonhos

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

Amiga destruidora

Esse post foi gravado em áudio. Se você preferir pode ouvir o áudio ao invés de ler o texto.

Qualquer garota no mundo tem ao menos uma amiga, seja ela falsa ou verdadeira. Mas poucas terão uma amiga que irá significar que se ela é sua amiga, aquele cara não conseguirá ser seu. Sei que ficou meio complicada essa definição, mas é complicado mesmo.

É que ela, a amiga, já foi amiga de três garotas que gostei, todas as três deram errado. Na primeira a garota esperou tanto tempo por mim que preferiu-me odiar. Na segunda nós trocamos muitos olhares, mas ela, mesmo gostando de mim, começou a namorar outro cara, e foi tudo por água abaixo. Na terceira, a mais importante, simplesmente ela fugiu de mim, e quando ela finalmente quis não fui porque já estava cansado de fazer tudo e nem receber um sorriso dela.

Mas isso aqui não é sobre as garotas, é sobre a amiga destruidora de sonhos. Que ela me escute e saiba que a odeio, mesmo a achando extremamente linda, mesmo achando seu corpo extremamente interessante. Odeio porque é muita coincidência você se apaixonar por três garotas, em épocas diferentes é claro, mas as três terem a mesma amiga.

E somente na terceira vim perceber que você estava relacionada com as outras, só aí percebi que você garota, na verdade era um significado de que tudo iria dar errado. É por isso que agora, toda vez que me apaixono por alguém, consulto logo para saber se ela é sua amiga, porque se for desisto logo antes de tentar. Você não fez nada, mas só sua presença já é suficiente para arruinar minhas paixões.

Às vezes me pergunto se isso não é obra do destino, para mostrar que nós fomos feitos um para o outro. Mas aí me lembro que não acredito em destino e nem em alma gêmea. E também acredito que você nunca irá-me dar um chance, até porque eu já tentei sua amiga, e também tentei a amiga dela pouco tempo depois.

Mas antes de você sair quero saber, aquela garota ali do outro lado é sua amiga? Sim? Então deixa pra lá.

*Esse texto pertence ao Cartas Para Elas, um apêndice do romance Desilusões Apaixonadamente Amorosas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *