A nossa hora ainda vai chegar

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

Garota sorridente

Esse post foi gravado em áudio. Se você preferir pode ouvir o áudio ao invés de ler o texto.

Você ainda se lembra daquele garoto que você deu 10? Daquele garoto que você sorriu pra ele, mas ele era tão tímido que não conseguiu chegar em você? Você se lembra? Acho que você se lembra! Senão não teria tentado segurar o sorriso quando me viu. Você deu aquele sorriso triste, como se faltasse alguma coisa.

Espero que você lembre, por que eu nunca esqueci. E sei que deve ser estranho estar falando de você assim do nada, mas é que as lembranças de você estão se tornando insuportáveis. Ainda me lembro de como fui um babaca e não fui falar com você, eu era tímido, mesmo que isso não justifique. E só estou-te dizendo isso para te pedir desculpas por não ter feito algo, mesmo que isso soe estranho.

Arrependo-me amargamente por não ter tido você. É que a gente espera que o acaso nos coloque frente a frente outra vez, e a gente possa fazer diferente. Mas a verdade é que temos que criar nosso próprio destino, não podemos ficar esperando pelo acaso.

Talvez um dia a vida nos surpreenda, ou não, talvez um dia a gente surpreenda a vida, e faça do jeito que queremos, sem essa de esperar o destino. É como você mesmo diz, não dá pra imaginar quando é cedo ou tarde demais, as coisas acontecem quando menos esperamos, e talvez porque algum cara que era tímido e deixou uma bela garota escapar, simplesmente resolva tomar as rédeas do seu próprio destino.

Tenho certeza que a gente se encontra, mas o que acontece depois só nós dois podemos decidir. Mas esse texto é para que você possa-me desculpar, e quem sabe assim eu possa-te esquecer, mas eu não quero-te esquecer, eu não vou-te esquecer, e você sabe.

*Esse texto pertence ao Cartas Para Elas, um apêndice do romance Desilusões Apaixonadamente Amorosas, e fala sobre a personagem Marcella.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *