Nota triste para o dia dos namorados

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

Triste namorados

No dia nove de junho de 2013, minha namorada e eu faríamos um ano juntos. Seria tudo maravilhoso, eu já fazia até planos há um mês para o dia. Tudo seria perfeito. Se na semana passada, ela não tivesse sido fotografada numa balada de short cavado, delatada no facebook pela própria amiga que estava junto dela. Ela não teve sequer a precaução de fugir de fotos, essas coisas, não pensou ao menos em não criar provas contra si mesma. Daí minha namorada… Melhor dizendo, ex-namorada, liga depois para um cara chamado… Pouca diferença faz isso agora, um cara com quem ela ficava no passado, e depois diz pra amiga que vai dormir na casa dele.

Minha ex-namorada era catequista. Sua superior dentro da Igreja, sua coordenadora, soube através, olha a ironia, da própria amiga dela, o que ela fez comigo. Minha ex foi expulsa de dar catequese pras crianças por causa do que ela fez.

Estou abalado. Não é só o fato de ser corno, como o povo diz, nem o fato de todos estarem sabendo. É que foi um ano juntos dividindo tudo, promessas de amor eterno, confiança, diálogo, tudo eu depositei aos pés dela. Tanta coisa que passamos juntos, ela era uma pessoa agitada, sempre fazíamos muitas coisas. Entreguei minha vida pra ela. E não foi o bastante pra ela ser fiel, mesmo dizendo que me amava.

Não tenho vergonha de dizer essas coisas, tenho só tristeza agora. Não tenho vergonha de contar que a minha primeira reação foi lhe dizer Morra desgraçada! tendo o coração cheio de ódio.

Não tenho vergonha de dizer que a minha segunda reação, nutrindo mais ódio ainda, foi dizer friamente: Não quero mais que você morra, pelo contrário, eu quero que você viva pra perceber que ninguém mais vai te dar o valor que eu te dei, o valor que ninguém te deu além de mim, porque todo mundo sabe de você agora e essas coisas o povo não cala nem esquece…

Não tenho vergonha de dizer que a minha terceira reação foi, com o coração cheio de tristeza, porém o ódio já apagado foi mesmo dizer: Eu não desejo mais o seu mal. No mal você já está. O mal você já tem. Você tinha um namorado devotado e amoroso e mesmo assim você fez o que fez, porque seu coração já tá cheio desse mal. Então eu não quero mais isso pra você. Eu quero você uma pessoa melhor, e mesmo sabendo que já não dá mais pra nós dois pelo que você fez, eu vou rezar pra Deus pra que você seja uma pessoa boa e não faça mais isso com ninguém.

Ainda estou triste. Ainda estou desconsolado. Porém, abolindo aquele enorme ódio que eu sentia, eu já estou conseguindo conviver melhor com a dor, e acalmei um pouco meu desespero.

Por que estou deixando estas linhas aqui? Porque eu acredito em Deus e quero dar testemunho do que estou passando. Quantos homens no meu lugar perdem a cabeça e cometem tantas loucuras!

Quando a salvação de si mesmo e do outro consiste em perdoar. Não, eu não perdoei ainda, tá recente. Porém, eu já dei entrada no processo do perdão. Estou bem triste sim, me sinto derrubado do meu lugar seguro. Porém, eu me sinto aliviado de certa forma, porque ao começar desejando o bem pra ela, pra que ela seja alguém melhor, já começa a iluminar meu coração a chama do perdão, e eu sei que, apesar de estar desacreditado de qualquer relacionamento hoje, eu tenho esperança de, sabe: Não digo ser feliz, mas ao menos deixar essa tristeza algum dia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.