É errado querer você

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

Garota nova

Esse post foi gravado em áudio. Se você preferir pode ouvir o áudio ao invés de ler o texto.

Tenho levado quase todos os dias para cama essa pergunta, será que é errado querer você? Será que é errado querer ter você ao meu lado? É errado querer essa sua boca doce? Será mesmo?

Talvez outros achem estranha essa conversa, de ser errado querer alguém, mas é que eles não sabem nossa história. Eles não sabem que eu era colega da sua irmã, e que você é bem mais nova que eu.

Não sabem também que você sempre ficava olhando para mim, assim como eles também não sabem que eu escondo um desejo secreto por você. É isso mesmo, eu tenho interesse em você, mas escondo por achar que isso é errado.

Particularmente não acho errado, mas a sociedade diz que sim. Essa tal sociedade diz que não posso ter você, e isso não é culpa da nossa diferença de idade, é culpa da idade em que você se encontra, e não só isso, é culpa também do seu jeito, do seu jeito de menina, mas é isso mesmo que admiro em você.

Já pesquisei, e felizmente descobri que de acordo com a lei não é errado querer você, mas a sociedade continua a dizer que sim, infelizmente.

Eles dizem que devo esperar você crescer, o problema é que sei que se deixar esse tempo passar, você vai começar a acreditar que eu nunca te quis, mesmo não sendo verdade, e vai encontrar outro que te queira, outro que esteja disposto a enfrentar quase tudo por você.

O pior de tudo é que tenho certeza absoluta que no futuro vou ter-me arrependido de não ter tentado você. E para me ajudar a entender disso é que às vezes gostaria de falar com aquele cara da música da Kelly Key, o daquela Baba, queria perguntar como ele se sente agora, se ele se arrepende, e se ele gostaria de ter feito diferente, mesmo estando errado perante a sociedade.

Essa é uma despedida para você A., e mesmo sabendo que vou-me arrepender, vou deixar você escapar, afinal já estou acostumado a ter coisas para lamentar eternamente, até que dane-se a sociedade.

*Esse texto pertence ao Cartas Para Elas, um apêndice do romance Desilusões Apaixonadamente Amorosas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.