Sessão Nostalgia: Teletubbies

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

Teletubbies

Teletubbies é um programa televisivo educativo produzido pela BBC voltado para bebês e crianças pré-escolares, produzido de 1997 a 2002 por Ragdoll Productions. Foi criado por Anne Wood e Andrew Davenport.

A série conta a história de quatro alienígenas, bebês multicoloridos de espécies mitológicas conhecidas como os “Teletubbies”, que tem uma tela de televisão na barriga. É a história dos famosos Tinky Winky, Dipsy, Laa-Laa e Po (você cantou essa parte como na abertura que eu sei).

Eles vivem na Teletubbilândia, em sua residência chamada Tubbytronic Superdome, onde convivem com Noo-noo, o aspirador azul com tendência para sugar as posses dos Teletubbies fazendo com que eles o chamem de “Noo-noo levado” enquanto o Noo-noo corre deles. Além de um alto-falante que se ergue do chão, e interage com os Teletubbies.

O colorido psicodélico é uma das características marcantes, projetado pelos criadores para apelar para as capacidades na concentração infantil ou desbloquear diferentes seções da mente enquanto educavam crianças mais jovens e bebês.

Os episódios seguem o mesmo esquema, as interações entre os Teletubbies e o alto-falante, os acidentes causados por Noo-noo, a imagem das crianças brincando e criando algo que é exibido na tela da barriga de um dos personagens e, principalmente, o “evento mágico”, que ocorre uma vez por episódio. O evento é sempre diferente e muitas vezes causado inexplicavelmente. O episódio é encerrado pelo narrador e um alto-falante, depois chega a hora de dar tchau, eles pulam para a Tubbytronic Superdome, enquanto o Sol (com rosto de bebê) se põe.

Esse foi um dos meus desenhos favoritos por longos anos, e perde apenas para Bananas de Pijamas, mesmo o desenho sendo destinado a crianças com idades entre um e quatro anos.

A quem diga que os Teletubbies são homossexuais, e não apenas porque usam calça colorida como o Restart, mas porque segundo eles existem indícios. Um desses indícios seria que de Tinky Winky era gay, tudo por que ele possui uma bolsa vermelha (uma “bolsa mágica”, na série) e um triângulo invertido na cabeça (▼), todos símbolos do orgulho gay. Ainda foi escolhido no Reino Unido como um dos símbolos do movimento gay do final da década de 90.

É como a própria BBC disse: “Tinky Winky é um simples e doce bebê tecnológico com uma bolsa mágica. Trata-se de um espetáculo para crianças”. As pessoas querem retirar muitas conclusões de coisas em que não há, da simples inocência da infância. E mesmo que Tinky Winky fosse gay, não seria um preconceito desejar que ele não existisse?

6 Comentários


  1. esse desenho é totalmente subliminar, milhares de crianças são hipnotizadas com mensagens gays e afeminadas, assim crescem e se tornam homossexuais, esse desenho deveria ser banido da mídia pois tem apelo gay e homossexual.

    Responder

    1. Lemure,
      Nada a ver o que você falou, um desenho não determina se alguém vai ser gay, pode ajudar se a pessoa já tiver tendência para isso, mas não determina. Assisti o desenho desde criança, não virei gay, e mesmo assim o desenho me influenciou, por exemplo, minha cor favorita é o amarelo, tudo por que meu Teletubbie favorito é o Laa-Laa.

      Responder

    2. POR QUE O BIXO ROXO TEM QUE CARREGAR A BOLSA “MAGICA” POR QUE NÃO A LALA OU A PO??? LEMORE É verdade eu Concordo, essa porcaria de desenho não educativo P*&%@aa.. nenhuma.. Lemure tem Uma História real que relata que na região do Nordeste que uma criança assistia esse Desenho “educativo” todos os dias por conta da sua ignorante e irresponsavel! Mas enfim essa criança pulou dentro da cisterna que sua mae tinha no fundo de casa e disse: Mae é hora de tchau.. e sempre falava a ela que precisava encontrar com os Teletubbies eles estãoapontava pra cisterna até que um dia ele pilou ali.. morreu por conta da profunfa cisterna.. a porcaria da midia não divulga o que esses trem faz com as crianças.. Aff ¬¬’

      Responder

  2. eu fico muito impressionada, de verdade, como existem pessoas de “cabeça fraca”… caaara, não tem nada a ver o que vocês estão falando, vão procurar um tratamento –‘
    Eu posso falar que sinto falta deste desenho, até pq fez parte da minha infância e do meu irmão.Sempre assisti e sinceramente, não nos influenciou em nada, ok ?Acho bem bonitinho, principalmente pq é um programa agradável de se ver, colorido(lembrando que crianças são muito visuais, gostam de cores chamativas mesmo), a voz dos personagens é bacana, aquele solzinho era a coisa maaaais fofa do mundo *-* kk, e ao meu ver, não era um programa cheeeio de efeitos e tal, simples, passava entretenimento às crianças.Me lembro de ficar doida com a Torradinha Gostosa, e o Creminho Gostoso(acho que é esse o nome mesmo…)… mas nem eu e meu irmão, nunca desenvolvemos alguma mania por causa disso, ou ficamos diferentes.Hoje eu tenho 20 anos e ele 15, é HÉTERO, ta ok pessoal ? e mesmo se fosse gay, acharia ridículo culpar um programa.Uma das minhas vontades era que, sinceramente, ele voltasse a ser exibido na TV, mas infelizmente conheço pessoas próximas a mim que tem a mente fraca tbm, falando que proibiria o filho de ver isso, e que é coisa de gente retardada 🙁 só lamento por essas pessoas, que vão continuar com essa mente doentia pelo resto de suas vidas…
    OBS: poderia fazer um post falando sobre Bananas de Pijamas hein ! KKKKKKKKK era apaixonada com ele tbm, tenho até um lençol de cama deles até hj (:

    Responder

Deixe uma resposta para Luciano Junior Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.