Citando Honoré de Balzac

Tempo de leitura: 2 minutos

Honoré de Balzac

Honoré de Balzac (Tours, 20 de maio de 1799 — Paris, 18 de agosto de 1850) foi um prolífico escritor francês, notável por suas agudas observações psicológicas. Balzac tinha uma enorme capacidade de trabalho, usada sobretudo para cobrir as dívidas que acumulava. De certo modo, suas despesas foram a razão pela qual, desde 1862 até sua morte, se dedicou incansavelmente à literatura. Sua extensa obra influenciou nomes como Proust, Zola, Dickens, Dostoievsky, Flaubert, Henry James, Machado de Assis, Castelo Branco e Ítalo Calvino, e é constantemente adaptada para o cinema.

“Uma noite de amor é um livro a menos lido.”

“A infelicidade tem isto de bom: faz-nos conhecer os verdadeiros amigos.”

“É mais fácil ser amante do que marido, pois é mais fácil dizer coisas bonitas de vez em quando do que ser espirituoso dias e anos a fio.”

“Nunca devemos julgar as pessoas que amamos. O amor que não é cego, não é amor.”

“O homem começa a morrer na idade em que perde o entusiasmo.”

“O incapaz se cobre; o rico se enfeita; o presunçoso se disfarça; o elegante se veste.”

“O instinto na mulher equivale à perspicácia nos grandes homens.”

“O bom marido nunca deve ser o primeiro a adormecer à noite, nem o último a acordar pela manhã.”

“Quando todo o mundo é corcunda, o belo porte torna-se a monstruosidade.”

“O coração das mães é um abismo no fundo do qual se encontra sempre um perdão.”

“O remorso é uma impotência, ele voltará a cometer o mesmo pecado. Apenas o arrependimento é uma força que põe termo a tudo.”

“Na vida de um homem não há dois momentos de prazer parecidos, tal como não há duas folhas na mesma árvore exatamente iguais.”

“O pensamento, único tesouro que Deus põe fora do alcance de todo o poder e guarda como um elo secreto entre os infelizes e Ele próprio.”

“Sentir, amar, sofrer, devotar-se, será sempre o texto da vida das mulheres.”

“Todo aquele que contribui com uma pedra para a edificação das ideias, todo aquele que denuncia um abuso, todo aquele que marca os maus, para que não abusem, esse passa sempre por ser imoral.”

“Da maciez de uma esponja molhada até à dureza de uma pedra-pomes, existem infinitos nuances. Eis o homem.”

“O ódio, tal como o amor, alimenta-se com as menores coisas, tudo lhe cai bem. Assim como a pessoa amada não pode fazer nenhum mal, a pessoa odiada não pode fazer nenhum bem.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.