Citando Tom Robbins

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

Tom Robbins

Thomas Eugene Robbins (Blowing Rock, Carolina do Norte, 22 de Julho de 1936) é um escritor estadunidense. Seu romance “Até as Vaqueiras Ficam Tristes” foi adaptado para o cinema pelo cineasta Gus Van Sant e estrelado por Uma Thurman em 1993. É autor de oito romances.

“Nunca é tarde para ter uma infância feliz.”

“Para alcançar o maravilhoso, é precisamente o inconcebível que tem de ser pensado.”

“Existe uma certa calma Budista que vem de se ter… dinheiro no banco.”

“Nossas semelhanças nos aproximam; nossas diferenças nos fascinam um pelo outro.”

“Seres humanos foram criados pela água para transportá-la de um lugar para o outro.”

“Não há essa tal coisa do ser humano estranho. É que algumas pessoas precisam de mais compreensão do que outros.”

“A função do artista é dar o que a vida não dá.”

“Amor é droga, não sopa de galinha.”

“Não é homens que limitam mulheres, não é “corretos” que limitam gays, não é brancos que limitam negros. O que limita as pessoas é a falta de caráter. O que limita as pessoas é que elas não têm a porra da coragem ou imaginação para estrelar seu próprio filme, muito menos dirigi-lo.”

“Nós perdemos tempo procurando o amor perfeito, ao invés de criar o amor perfeito.”

“Os professores que oferecem as respostas definitivas não possuem as respostas definitivas, pois se o fizessem, saberiam que as respostas definitivas não podem ser dadas, elas só podem ser recebidas.”

“Nascimento e morte foram fáceis. A vida é que foi difícil.”

“Um senso de humor, devidamente desenvolvido, é superior a qualquer religião até agora desenvolvida.”

“Então você acha que você é um fracasso, não é? Bem, provavelmente você esteja certo. O que há de errado com isso? Em primeiro lugar, você deve ter algum senso de tudo o que você deve ter aprendido, e que pagamos tão caro por nossos triunfos como por nossas derrotas. Vá em frente e falhe. Mas com inteligência, com graça, falhe com estilo. A falha é tão medíocre e insuportável como um sucesso medíocre. Abrace a falha! Procure-a. Aprenda a amá-la. Isso pode ser a única maneira de sermos livres.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.