Filme da Semana #21

Tempo de leitura: 3 minutos

Charles Chaplin

Hoje o filme da semana é um clássico do cinema mudo e do grande ator/diretor Charles Chaplin. Mas esse filme também tem outro sentido muito interessante, que é a industrialização americana e os problemas financeiros causados pela grande depressão estadunidense.

Esses temas são abordados com muito humor durante o filme e por isso pode ser considerado uma obra-prima e, claramente que se você frequentou a escola sua professora de história deve ter passado esse filme.

Tempos Modernos

Sinopse Original: Um operário fica louco com o ritmo intenso do trabalho braçal onde consegue o seu ganha-pão. Demitido, acaba parando em um hospital. Quando sai, é confundido durante um protesto comunista e acaba preso. Em meio a toda essa confusão, ainda arruma tempo para ajudar uma jovem órfã.

Comentários:

João Paulo (GrindHouse Project)

Charles Chaplin foi um dos artistas que mais desaprovou a entrada do “cinema falado”, que começou em 1927 com o belo musical “O Cantor de Jazz”. Chaplin desafiou a fala, o público, os empresários e todos àqueles que pediam para fazer um filme falado por muitos anos. Apenas em 1940, Chaplin fez seu primeiro filme com fala “O Grande Ditador”, ironia ou não, muitos críticos consideram como o melhor filme da carreira.

O filme “Tempos Modernos” é uma obra-prima do início ao fim, mostrando de forma irônica, o homem sendo usado como objeto, torando-se uma máquina quase igual à máquina com que trabalhava, sem vida e sem descanso. Era o mundo capitalista na visão não só de Chaplin, mas de muitos que assistiam.

Todo o tratamento que os pobres sofriam, a diferença de classes sociais e o poder que o capitalismo gerou, é mostrado de maneira detalhada, e o melhor, de maneira tão irônica que podemos perceber que sempre podemos lutar pelos objetivos e sempre podemos ser quem somos, ou seja, seres humanos. Não máquinas que trabalham 24 horas por dia sem descanso.

No meio de todo o ritmo intenso de trabalho, o personagem ainda tenta sustentar uma jovem órfã, sendo que o que ele ganhava não sustentava nem a si mesmo. Algo retratado em 1936 é comum de se ver atualmente

Charles Chaplin atua tanto como ator quanto diretor na maioria de seus filmes, e ambas podem ser consideradas perfeitas. Mas se tivermos que apontar o melhor, obviamente a sua atuação será escolhida. Encantar a população na década de 30 até hoje sem mencionar uma palavra sequer não é para qualquer um.

Leo Caprara (O Minuto do Saber)

O filme é uma verdadeira obra-prima, pois consegue abordar situações muito reais dentro do cenário americano da época e mesmo assim mantém o humor e brilhantismo do cinema mudo, algo difícil, pois com os assuntos temas do filme era muito provável ele se tornar um documentário, mas não. Chaplin deu vida ao filme, deixou ele um filme de humor e mesmo assim um filme protestante a situação vivida nos Estados Unidos.

É um filme muito interessante para ser visto, pois você aprende da história americana e da história do cinema ao mesmo tempo, pois Chaplin faz parte da lista dos 10 melhores atores de todos os tempos e com certeza é uma das maiores figuras do cinema, tanto como ator quanto diretor.

3 Comentários


  1. Sem dúvida um dos melhores filmes existentes, além de ser engraçado, aborda a exploração naquele tempo de industrialização!

    Responder

  2. Não assisti. Mais é uma bela postagens, parabéns parceiro, tamo juntos.

    Responder

  3. Cara esse filme é demais… ja assisti muitas vezes, é muito engraçado, aliás, todos os filmes do charles chaplin são de mais…. todos deveriam assistir

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.